Cultura Remote First: o que é e como os líderes podem adotar?

cultura-remote-first

Diversas pesquisas recentes demonstram que o modelo de trabalho híbrido é o preferido entre os profissionais, como na pesquisa elaborada pelo Instituto Robert Half. Isso significa que, mais do que o trabalho 100% remoto, os colaboradores querem mesmo é se sentir livres para intercalar entre o home office e o escritório.

Porém, o grande desafio das lideranças é como manter a equipe integrada e produtiva. Nesse sentido, a cultura Remote First pode ser uma aliada!

Neste artigo, explicaremos melhor o que é a Cultura Remote First, quais seus benefícios e como os líderes podem aplicá-la na sua equipe. Confira!

Afinal, o que é a Cultura Remote First?

Ao invés de pensar em uma cultura prioritariamente presencial, o termo remote first representa as empresas que privilegiam o trabalho remoto, criando uma cultura de integração, comunicação e operação que funcione tanto para o home office quanto para o presencial.

Para que fique mais claro, vamos a um exemplo. Se você tem uma equipe de 10 pessoas, das quais 6 moram em outras regiões longe da sede da empresa, será preciso adaptar o modelo de trabalho do time.

Neste caso, a cultura remote first é importante pois você precisa considerar uma estrutura que funcione para os 10 colaboradores, estejam eles no escritório ou em casa. Para isso, será preciso definir questões como:

  • Canais oficiais de comunicação remota;
  • Reuniões online mesmo quando parte da equipe estiver reunida no escritório;
  • Horários flexíveis, caso haja fuso horário.

Quais os benefícios de adotar a Cultura Remote First na empresa?

No cenário atual, empresas que adotam a Cultura Remote First ganham em diferencial competitivo, pois atendem àquilo que os colaboradores desejam e, com isso, podem ter vários benefícios no longo prazo. Entenda algumas das principais vantagens de adotar esta cultura!

Atração e retenção de talentos

Com a escassez de talentos e os movimentos de renúncia de colaboradores que começou nos Estados Unidos e se espalhou para outras regiões, atrair e reter profissionais se tornou um desafio não só para as áreas de Recursos Humanos, como também para os líderes das áreas, que acabam tendo seus projetos prejudicados pela falta de integrantes das equipes.

Dado este cenário, oferecer a cultura Remote First pode contribuir para atrair talentos para a sua empresa e evitar que sua equipe vá para a concorrência.

Aumento da produtividade

Dar ao colaborador a liberdade de trabalhar de onde quiser certamente aumentará a produtividade da sua equipe. Porém, isso só acontece quando eles têm as ferramentas e os processos necessários para serem produtivos de qualquer lugar. É aí que entra a Cultura Remote First!

Diversidade geográfica

O tema Diversidade nunca esteve tão presente nas organizações como atualmente. Nesse sentido, adquirir diversidade geográfica na equipe pode significar mais criatividade e inovação, ao integrar pessoas com culturas diferentes em um mesmo ambiente — mesmo que ele seja virtual.

Além disso, contratar talentos independentemente de onde eles moram facilita o recrutamento, permitindo que você tenha excelentes profissionais em sua equipe que não estariam disponíveis caso fosse montar um time 100% presencial.

Economia financeira

É claro que não poderíamos deixar de considerar a economia financeira que as empresas podem ter ao adotar a cultura Remote First. Afinal, ter parte da equipe trabalhando remotamente gera menores custos relacionados ao:

  •  Tamanho da sede: que não precisa comportar 100% do time ao mesmo tempo;
  • Custos fixos: como energia elétrica, água etc.;
  • Deslocamento da equipe: vale-transporte, gasolina e estacionamento;
  • Entre outros.

Como os líderes podem adotar a Cultura Remote First?

Agora que você já sabe o que é a Cultura Remote First e quais seus benefícios, entenda quais são os primeiros passos para adotá-la na sua equipe.

Estabeleça rotinas objetivas

Colaboradores em home office precisam estar integrados com a equipe, mas não querem passar o dia todo conectados em uma sala virtual.

Para evitar isso, crie rotinas que ajudem a fomentar a cultura Remote First: estabeleça reuniões rápidas de atualização ao início e final de cada semana, a fim de alinhar o andamento das entregas e ter uma visão macro de como a equipe está trabalhando.

Defina canais oficiais de comunicação

Não é porque o trabalho é remoto que ele não tem hora para acabar, certo? Para evitar que isso aconteça, defina canais oficiais de comunicação e tenha SLA’s bem definidos sobre os horários em que todos precisam estar disponíveis e em quais períodos é aceitável que as comunicações sejam respondidas de forma assíncrona.

Incentive momentos de interação “off topic”

Se você tem membros da equipe que não se conhecem pessoalmente ou se encontram esporadicamente, é importante incentivar a criação de laços entre o time, mesmo que remotamente.

Por esse motivo, faz parte da Cultura Remote First criar momentos de interação que não sejam diretamente ligados aos assuntos de trabalho. Isso pode acontecer em momentos específicos — como em um happy hour online — ou dentro das próprias calls de trabalho, onde o líder pode separar alguns minutos no início ou no final para assuntos não relacionados aos projetos.


E então, está pronto para adotar a cultura Remote First na sua equipe? Certamente, ela fará parte da rotina do líder do futuro!

Se você quer se aprofundar mais em tendências e habilidades que o futuro exigirá dos líderes daqui para frente, então leia este artigo e entenda mais sobre o assunto!