Tire suas principais dúvidas sobre estudar fora do Brasil

estudar fora do brasil

Estudar fora do país é um sonho de muitos estudantes e jovens profissionais. Porém, algumas barreiras podem tornar este projeto mais difícil de executar, principalmente em relação às finanças e ao tempo de ausência do trabalho, no caso de quem já está empregado.

Mas será que você realmente precisa pedir demissão, trancar a faculdade e ter muito dinheiro guardado? 

Descubra, neste artigo, como estudar fora do Brasil sem precisar se desfazer de toda a estrutura que tem em sua terra natal. Leia e entenda!

Quais as opções para estudar fora do Brasil?

Embora existam programas de intercâmbio que levam alunos para fazer graduação ou pós-graduação fora do país, nem sempre esta é uma opção viável por conta dos altos valores envolvidos, bem como pelo processo seletivo das universidades internacionais, que são diferentes do que conhecemos em nosso país.

Esse cenário complexo leva algumas pessoas a se aventurar na vida fora do Brasil, em intercâmbios que muitas vezes envolvem subempregos e condições desfavoráveis, mesmo para profissionais que já têm alguma qualificação acadêmica e/ou profissional.

Por outro lado, existe um terceiro caminho para estudar fora do Brasil, que permite que alunos de graduação, recém-formados e jovens profissionais estudem por algumas semanas em uma instituição internacional, sem ter que abrir mão da sua estabilidade no Brasil.

Para isso, a melhor opção é se matricular em um curso de curta duração fora do Brasil, que permite viver uma experiência internacional de forma imersiva, ganhando conhecimentos práticos e turbinando o currículo com um diploma de fora. Vamos entender melhor os benefícios!

Vale a pena estudar fora do Brasil em um curso de curta duração?

Fazer um curso de curta duração no exterior é uma excelente oportunidade para ter sua primeira experiência estudando fora do Brasil. Confira alguns benefícios.

Networking global

Imagine conhecer pessoas do mundo todo que estão no mesmo momento de vida que você: buscando expandir seus horizontes em um curso internacional.

O networking global é uma excelente oportunidade de descobrir novos caminhos para sua carreira e de ficar por dentro de inovações e tendências internacionais sobre a sua área de atuação.

Diploma internacional

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, obter um diploma internacional pode ser o diferencial que seu currículo precisa para se destacar em meio à concorrência. 

Além disso, essa experiência pode ser ideal para alcançar novas oportunidades dentro do seu emprego atual, preparando-o para assumir cargos e projetos de maior relevância dentro da empresa

Custos mais acessíveis do que em cursos de longa duração

Estudar fora do Brasil durante 3 semanas — período médio dos cursos de curta duração — certamente trará uma economia e possibilitará que você se programe mais facilmente para ter essa experiência, uma vez que envolve despesas menores para a obtenção do visto, além de questões de moradia e transporte.

Possibilidade de estudar durante as férias

Se você ainda não se formou na faculdade ou está em um emprego fixo, saiba que estudar fora do Brasil é totalmente viável nesses casos.

A maioria das universidades e instituições de ensino internacionais concentram seus programas de curta duração para os meses de férias escolares. Dessa forma, você pode escolher períodos como janeiro ou julho para viver essa experiência.

Quais os melhores países para estudar fora do Brasil?

Existem inúmeros países que oferecem a possibilidade de estudar fora do Brasil por meio de cursos de curta duração. Porém, é importante que você se atente à qualidade das instituições e, além disso, escolha locais onde consiga passear e conhecer pontos turísticos durante os finais de semana, momento em que normalmente não terá aulas.

Para isso, os melhores países acabam sendo:

Estados Unidos

A principal escolha de estudantes e jovens profissionais quando o assunto é estudar fora. Além de ter as melhores universidades do mundo, também conta com regiões populares para o turismo, como Nova York e Califórnia, por exemplo.

Reino Unido

Muitas pessoas escolhem ir para Londres e outras localidades do Reino Unido quando decidem estudar fora. Isso porque se trata de um dos principais centros financeiros do mundo e ainda fornece fácil acesso a diversos pontos turísticos, permitindo, inclusive, que você conheça outros países aos finais de semana.

Europa

Saindo do eixo convencional de Estados Unidos e Reino Unido, você sabia que a Itália também é uma excelente opção para estudar fora do país?

Além de ter instituições renomadas e menos concorridas na hora de se inscrever em um curso, nada como vivenciar a cultura italiana, provar as delícias típicas e conhecer muita história em regiões como Milão e Veneza, por exemplo.

Como estudar fora do Brasil com bolsa?

E então, agora que você já sabe como é possível estudar fora do Brasil sem ter que ficar longos períodos fora, já pensou em ter um incentivo extra para tirar este projeto do papel?

Você sabia que muitas universidades e instituições de ensino internacionais oferecem bolsas de estudos parciais para os cursos de curta duração?

Algumas das instituições são:

  • State University of New York (SUNY): conheça os cursos disponíveis aqui;
  • California State University, Northridge (CSUN): conheça os cursos disponíveis aqui;
  • University of La Verne, Califórnia: conheça os cursos disponíveis aqui;
  • Pearson College London: conheça os cursos disponíveis aqui;
  • CUOA Business School: conheça os cursos disponíveis aqui.

Está interessado em estudar fora do Brasil em uma dessas universidades e ainda concorrer a uma bolsa de estudos de até 50%?

Então, basta escolher seu curso no site da IBS Americas e preencher o application form para participar do processo seletivo. Boa sorte!

Entenda quais são as prioridades dos CEOs para 2022 e 2023, segundo estudo do Gartner

Em meio a um cenário de transformação digital e disrupção no mundo dos negócios, uma pesquisa recente do Gartner — consultoria de tecnologia responsável por entregar insights sobre o mercado —apontou que pessoas, propósito, preços e produtividade estão entre as questões-chave dos decisores das empresas.

A pesquisa do Gartner entrevistou mais de 400 líderes empresariais seniores sobre suas prioridades para 2022 e 2023. O resultado foi surpreendente, com variações relevantes referente aos anos anteriores em que a pesquisa foi feita.

Neste artigo, reunimos as principais prioridades dos CEOs neste ano. Confira!

Crescimento

O crescimento continua sendo a prioridade dos CEOs mais citada (51%), mas diminuiu este ano. A análise do Gartner vincula esse declínio ao impacto dos problemas da cadeia de suprimentos, pois os CEOs podem não se esforçar tanto para aumentar a demanda se não puderem fornecer produtos para o consumidor final.

Tecnologia

Questões relacionadas à tecnologias emergentes, como digitalização, e-commerce e cibersegurança , vêm em segundo lugar (34%). Para os CEOs, a pandemia destacou o valor do trabalho remoto, e-commerce e outros mecanismos digitais. Eles estão preparados para manter seu foco em tecnologia.

Gestão de Talentos

A prioridade das questões da força de trabalho , como retenção de talentos , contratação e diversidade, equidade e inclusão (DEI), subiu substancialmente pelo segundo ano consecutivo, colocando-a em um terceiro lugar próximo (31%) e significativamente à frente das questões financeiras, como rentabilidade, fluxo de caixa e captação de capital, e as iniciativas corporativas, como M&A, mudança de estratégia e reestruturação. 

Questões Ambientais

As questões ambientais surgiram em nono lugar: 9% dos entrevistados o citaram como uma das três principais prioridades.

Esse pode ser um número absoluto relativamente pequeno, mas esta é a primeira vez que a categoria chega ao top 10 e reflete um aumento muito significativo no interesse. (Estava na 14ª posição há apenas três anos e na 20ª posição há sete anos.)

Os líderes empresariais estão agora sob pressão de clientes, investidores, reguladores e funcionários para fazer mais em sustentabilidade ambiental, e negócios sustentáveis ​​são vistos como uma oportunidade para impulsionar os negócios com eficiência e crescimento da receita.

Inflação

A inflação é um problema de início repentino para muitos CEOs, com 62% relatando que esperam que seja uma preocupação persistente ou de longo prazo. Nesse ponto, a escassez da cadeia de suprimentos induzida pela pandemia e os gastos sociais do governo para ajudar as pessoas em bloqueios e licenças estavam impulsionando a inflação. A invasão da Ucrânia pela Rússia e as sanções econômicas resultantes agravaram a situação. A interrupção do fornecimento de commodities da região, como petróleo, gás, grãos e néon, elevará os preços em vários setores, de restaurantes a semicondutores.

Como pudemos ver na pesquisa, as necessidades atuais do mercado trazem para a prioridade dos CEOs um olhar atento às pessoas, às questões ambientais e excelência gestão para lidar com o complexo cenário econômico mundial.


E você, se sente preparado para lidar com essas prioridades dos CEOs em um futuro breve?

Conheça alguns cursos internacionais de curta duração que te darão o conhecimento e a prática necessários para lidar com estas novas demandas do mercado:

Inscreva-se agora nos cursos internacionais de curta duração oferecidos pela IBS Americas e fique por dentro dos temas mais relevantes para a alta liderança das organizações!

Entenda o que é Liderança Estratégica e quais as características essenciais do líder estratégico

Transformação digital, novos paradigmas no mercado, mudanças na relação entre colaborador e empresa… Todo esse cenário vem exigindo uma verdadeira revolução no perfil de liderança que conhecíamos até então.

Nesse sentido, desenvolver a liderança estratégica é uma forma de atingir bons resultados e manter a relevância dentro da empresa.

Mas, afinal, o que é a liderança estratégica e como aprimorá-la?

Neste artigo, vamos entender mais sobre o assunto, além de conhecer as características essenciais do líder estratégico. Confira!

O que é liderança estratégica?

Em linhas gerais, a liderança estratégica nada mais é do que uma forma de adaptar o papel do líder às novas necessidades das organizações.

Diferentemente dos modelos tradicionais, a liderança estratégica não restringe seu olhar apenas para os resultados financeiros diretos. Ao invés disso, ela adapta sua atuação para integrar a estratégia da empresa com a cultura organizacional, fazendo com que isso impacte no desenvolvimento dos colaboradores e, consequentemente, na experiência do cliente.

Em resumo, isso significa que o líder estratégico concentra seus esforços em aprimorar sua equipe e oferecer-lhe insumos para a autonomia e tomada de decisão, tornando-se um ponto de apoio para seus liderados, ao invés de ser o único responsável por todas as decisões da área.

Quais as características essenciais da liderança estratégica nas empresas?

Agora que você já sabe o que significa a liderança estratégica, que tal entender as características a serem desenvolvidas para colocá-la em prática na empresa? Confira as principais!

Definição de prioridades

Apesar de oferecer autonomia para sua equipe, faz parte do papel da liderança estratégica definir as prioridades e repassar o senso de urgência para a equipe, levando-os a atuar em sinergia nos tópicos mais relevantes do momento.

Previsibilidade

A experiência em lidar com situações complexas certamente é algo que torna o papel do líder tão relevante, independentemente do estilo de liderança utilizado por cada profissional.

E é justamente essa experiência que contribui diretamente para outra característica da liderança estratégica: a previsibilidade.

O líder estratégico é aquele que aplica o conhecimento adquirido ao longo da sua carreira para prever situações de risco e agir de forma preditiva. Para isso, pode lançar mão de ferramentas que o ajudem a guardar o histórico de ações anteriores, além de estar sempre atento a possíveis repetições de padrão dentro das situações cotidianas.

Pensamento Crítico

Manter o hábito de questionar o senso comum e propor caminhos alternativos também é uma característica da liderança inspiradora, que deve ter o pensamento crítico como base para o início da tomada de decisão.

Decisão baseada em fatos

Dada a exposição do líder perante à sua equipe e aos seus pares, é esperado que suas decisões sejam questionadas. Por isso, a liderança estratégica deve praticar a tomada de decisão baseada em fatos, de modo que todos ao seu redor entendam o racional estratégico por trás dela, justificando por que faz sentido e quais seus impactos de médio e longo prazo.

Aprendizado constante

Por fim, o líder estratégico é aquele que se coloca como eterno aprendiz, de modo que utiliza as experiências cotidianas para adquirir novos conhecimentos e desenvolver as competências da sua equipe de modo individualizado.

Neste aspecto, a mentalidade Life Long Learning é essencial para aprimorar a liderança estratégica em si mesmo.

Quer se tornar um líder estratégico?

Como vimos até aqui, a liderança estratégica certamente é um caminho para o futuro dos líderes e, por isso, precisa ser aprimorada constantemente.

Se você tem interesse em se aprofundar em Liderança Estratégica, então vai adorar participar da Masterclass Strategic Organization Leadership, com reflexões e dicas relevantes para aplicar e se tornar um líder estratégico. A aula é ministrada pelo Prof. Issam Ghazzawi, da University of La Verne, Califórnia. Inscreva-se agora mesmo e participe gratuitamente.

E para você que quer ter uma experiência internacional, temos três cursos sobre liderança em universidades dos Estados Unidos e Europa. São eles:

Saiba mais sobre cada um deles e conheça nosso processo seletivo de bolsas de estudo.

Soluções Inovadoras: confira 6 dicas de como transformar ideias em inovação

Soluções Inovadoras

Segundo um estudo recente, identificou-se que apenas 55% das empresas brasileiras possuem departamento de inovação.

Em um primeiro momento, esta informação pode parecer preocupante. Afinal, será que as empresas não estão investindo em inovação?

Por outro lado, fica a pergunta: será que é necessário ter um departamento focado em inovação? Ou será que ideias podem ser transformadas em soluções inovadoras de forma não linear dentro da empresa?

Neste artigo, vamos entender 6 caminhos para transformar ideias em soluções inovadoras, desconstruindo mitos sobre a inovação. Acompanhe!

Afinal, o que é inovação?

Antes de mais nada, é preciso desmistificar o conceito de inovação. Em um mercado tomado pela constante necessidade de implementar a transformação digital, o ato de inovar acabou sofrendo algumas modificações em seu conceito.

Porém, agora chegou o momento de entender, de fato, o que é e o que não é inovação. Confira a seguir alguns pontos sobre o que NÃO é inovação.

Inovação não é só criatividade

Ela é a base da inovação e pode ser enxergada como o primeiro passo para desenvolver soluções inovadoras. Porém, a criatividade sozinha não garante inovação.

Inovar não é apenas inventar

Todos os dias, milhares de invenções são prototipadas e chegam a ficar disponíveis no mercado. Porém, isso não significa que estas invenções são, de fato, soluções inovadoras. Para que uma solução se consolide como inovadora, ela precisa ir além da invenção: precisa obter sucesso no mercado.

Inovar não é só lançar produtos

Isso é muito importante: a inovação não precisa estar concentrada apenas na entrega do produto em si. Ela pode ser aplicada no serviço ou até mesmo na otimização de um processo interno, que vai agregar valor ao cliente final, mesmo que o produto seja um commoditie.

Todas essas premissas revelam, de fato, o que é a inovação: uma ideia que se transforma em solução inovadora graças à sua capacidade de resolver um problema ou melhorar um processo.

Ou seja, não basta apenas ter ideias inovadoras, é preciso que elas tenham utilidade e tenham adesão por parte do público final. Vamos entender como percorrer este caminho da ideia até a solução inovadora.

6 passos para transformar ideias em soluções inovadoras

1. Explique os benefícios

Quando estamos imersos em um projeto, ficamos tão presos a fazê-lo acontecer que podemos nos esquecer de contextualizá-lo para quem está de fora.

No caso de transformar ideias em inovação, é essencial que a solução seja bem aceita pelas pessoas — clientes ou colaboradores — e, para isso, será necessário convencer as pessoas sobre o motivo pelo qual elas precisam desta solução.

Para isso, nada melhor do que mostrar como a solução inovadora que você está propondo vem de encontro aos desafios e necessidades de determinado grupo, apresentando as vantagens focadas em resolver um problema específico.

2. Melhore o que não funciona antes de melhorar o que funciona

Sabemos que ideias inovadoras podem ocorrer a qualquer momento, mas nem todas elas precisam ser executadas juntas. Se você e sua equipe estão em dúvida sobre duas ou mais ideias inovadoras, escolha aquela capaz de melhorar os pontos mais fracos do processo, produto ou serviço.

Por exemplo, se você tem uma ideia para pré-vendas e outra para pós-vendas, certifique-se de descobrir onde a equipe comercial tem mais problemas: em captar ou em reter clientes. A partir disso, concentre sua solução inovadora na etapa mais crítica do processo de vendas.

Com isso, a adesão à sua solução inovadora tende a ser maior por parte da equipe comercial, além de que ela provavelmente mexerá mais rapidamente nos índices financeiros da companhia, comprovando a importância de implementar a solução inovadora proposta por você.

3. Crie soluções escaláveis

Sua ideia pode até ser boa, mas ela precisa ser benéfica para um grupo maior de pessoas. Isso não significa que você não precise criar nichos de mercado antes de implementar a inovação. Na verdade, a segmentação é importante.

O ponto é que ela precisa ser altamente escalável, de modo que possa ser cascateada para todo o ecossistema do mercado. Isso significa que, por mais que o CEO da empresa seja o grande decisor acerca da inovação, você não precisa criar a solução apenas para ele. É preciso pensar em como ela pode alcançar todos os demais níveis da empresa depois de passar pelo crivo do executivo.

4. Garanta que existe mercado para consumir a sua solução

Vamos a um exemplo prático: suponha que a Ferrari precisa inovar a fim de aumentar suas vendas em regiões onde tem baixa penetração na Itália.

A inovação óbvia seria lançar carros ainda mais modernos e fazer campanhas nas cidades onde as vendas estão em baixa — como, por exemplo, em Veneza.

O grande ponto aqui é que, por mais que seu produto seja o mais inovador do mercado, Veneza não tem estradas e, por isso, a venda de qualquer automóvel ali seria uma perda de tempo. Afinal, geraria mais um problema para o consumidor que viesse a comprar o carro, já que ele não teria como usá-lo.

Logo, um lançamento de inovação na categoria automobilística em Veneza não passaria de uma ideia inovadora, sem potencial para se transformar em uma solução inovadora.

5 – Verifique a usabilidade da sua solução

Você já deve ter ouvido falar que estamos na era das experiências: termos como Customer Experience, Employer Experience, User Experience passaram a fazer parte do vocabulário empresarial cotidiano.

Isso também se aplica à inovação. Afinal, de nada adianta ter uma ideia inovadora se ela não for altamente utilizável pelas pessoas consumidoras.

6 – Tenha visão holística

Por fim, é importante que a sua solução inovadora não gere novos problemas que precisam ser solucionados antes ou depois do consumo da solução.

Por exemplo, vamos trazer aqui a inovação da Tesla com seus carros elétricos. Sabemos de seus benefícios, do quanto esses veículos têm excelente usabilidade e como são escaláveis.

Porém, outro fator que torna esses veículos ainda mais inovadores é o fato de que Elon Musk modificou toda a cadeia para garantir que a sua solução não gerasse novos desafios para o consumidor.

Mais do que vender carros elétricos, a Tesla investiu pesado em itens como baterias e carregadores para os veículos elétricos. Afinal, de nada adiantaria ter um carro desse na garagem e não ter estrutura para que ele funcionasse, não é mesmo?


E então, conseguiu ter uma ideia melhor sobre como transformar boas ideias em soluções inovadoras?

Se você quer se aprofundar no assunto e obter mais insights para colocar a inovação em prática na sua empresa, que tal assistir à nossa Masterclass gratuita sobre Innovation and System Logic, ministrada pelo professor Prof. Jacopo Filippo Bargellini, da CUOA Business School (Itália).

E se você está procurando uma formação internacional em Inovação, conheça alguns dos melhores cursos de curta duração sobre Inovação em universidades dos Estados Unidos e Europa: